Posso fazer consórcio com o nome sujo? Saiba se existem impedimentos!

Entenda as regras do consórcio para a aprovação de novos membros!

Se você passou ou tem passado por algumas dificuldades financeiras, está em busca de alternativas para a realização dos sonhos, como a compra da casa própria ou de um carro novo, e está lendo este conteúdo, já deve ter se perguntado: “posso fazer consórcio com nome sujo?”.

Em primeiro lugar, saiba que você não está sozinho. De acordo com um estudo inédito feito pela Serasa Experian, divulgado em janeiro, só no começo de 2023 70,1 milhões de brasileiros estavam com o nome no SERASA, o que configura um recorde na série histórica de inadimplência no país.

Ainda segundo o grupo que realizou a pesquisa, os principais fatores responsáveis pelo impulsionamento do aumento da inadimplência no Brasil, dentro do período analisado, foram a inflação e os juros altos.

Estes dois elementos dificultaram o pagamento das dívidas contraídas pelos brasileiros, especialmente aquelas sujeitas à taxa de juros.

Na prática, a alta dos juros, acompanhada pela inflação, também foi uma das principais razões pelo afastamento de vários consumidores de serviços de crédito.

Com os consórcios, entretanto, a realidade pode ser um pouco mais flexível. Dessa forma, respondendo à pergunta inicial: sim, é possível fazer consórcio com o nome sujo, mas, para isso, você precisará passar por uma avaliação junto à administradora do consórcio.

Vale dizer que, nesta modalidade, você vai encontrar várias opções de grupos de consórcio, como consórcio de imóveis e consórcio de veículos, que são os mais populares do mercado.  

Obviamente, existem algumas restrições para aderir ao consórcio. O principal critério de aprovação é que você tenha uma renda compatível e que possibilite o pagamento das parcelas.

Para te ajudar a entender mais sobre como essa modalidade de compra programada funciona e como pode ser aproveitada por pessoas que se encontram com o nome sujo no momento, preparamos este guia. Continue a leitura!

O que significa ter nome no SERASA?

Antes de mais nada, é importante explicar o que realmente significa ter seu nome no SERASA. Em primeiro lugar, saiba que, ao contrário do que muitos pensam, o SERASA não é um órgão governamental.

A instituição é, na verdade, uma empresa que trabalha com soluções de marketing, crédito, certificação e consulta de dados para outros grupos de diversos segmentos.

Por prestar seus serviços para tantas outras empresas, sendo a maior referência de análises e informações para decisões de crédito do país, ter seu CPF no registro de inadimplentes do Serasa acabou se transformando em algo de ordem nacional.

Aliás, ter seu nome e CPF neste registro é o que popularmente chamamos de ter um “nome sujo”.

A expressão se popularizou dessa forma porque, a partir do momento em que uma pessoa entra nesta lista, ela é tida por muitas empresas como um mau pagador e acaba tendo sua aprovação rejeitada para uma série de serviços, como financiamentos e uso de cartão de crédito, por exemplo.

Daí a ideia de ter “sujado” seu nome. A entrada de um nome, com um número de CPF atrelado, neste registro acontece quando uma dívida não é paga e o credor, ou seja, a empresa com quem a dívida deve ser quitada, solicita a inclusão do nome e do CPF nos birôs de crédito, como é o caso da SERASA.

A partir disso, o nome da pessoa inadimplente será negativado, ou seja, ficará com restrições ou completamente indisponível para serviços de crédito e/ou compras a prazo.

Isso pode acontecer simplesmente por alguém esquecer de pagar uma conta, como a fatura do celular, a conta de água, luz, prestação de um eletrodoméstico e outras situações que podem acontecer com qualquer pessoa.

Como saber se estou com nome sujo?

O registro na lista de inadimplentes não acontece de forma automática, razão pela qual quem esquece de pagar uma conta dentro do prazo e paga um dia depois, por exemplo, pode quitar a dívida com o acréscimo de uma multa, mas dificilmente terá seu nome no SERASA.

Isso acontece porque a inscrição como devedor é feita a partir da solicitação do credor, que deve realizar um procedimento junto ao órgão de restrição de crédito. Também vale ressaltar que a inclusão na lista deve sempre ser informada ao consumidor.

Entretanto, muitas vezes as pessoas que estão com o nome sujo nem sequer sabem que se encontram em tal situação, em razão de algum problema de comunicação.

Por isso é importante manter um acompanhamento do seu score, que funciona como sua pontuação no mercado. Quanto maior o seu score, mais você mostra aos fornecedores de crédito que tem condições de arcar com um compromisso financeiro.

Além disso, também é importante lembrar que a consulta para saber se tem ou não seu nome no SERASA é gratuita.

Basta acessar o site da Serasa, ir na aba “Consultar CPF grátis” e realizar seu cadastro, caso ainda não seja cadastrado.

Se estiver entrando pela primeira vez, será preciso confirmar o e-mail que colocou no cadastro antes de poder usar a plataforma.

Depois, é só entrar com seu CPF e a senha que escolheu e clicar em “Meu CPF” para consultar se há alguma pendência.

Assim, será possível não só verificar se está com nome sujo ou não, mas também poderá acompanhar a situação da sua dívida.

Caso esteja com o nome no SERASA, é certeza de que irá enfrentar algumas dificuldades para ter acesso a produtos de crédito, principalmente para a aquisição de bens de grande valor, como no financiamento de um apartamento, por exemplo.

Nesse cenário, a solução ideal para contornar essa situação sem ter que renunciar aos seus sonhos é encontrar um grupo que lhe permita fazer um consórcio com nome no SERASA. Mas como isso é possível?

Como funciona o consórcio para inadimplentes?

A chance de poder fazer consórcio com nome sujo é oferecida por algumas empresas que administram consórcios, como é o caso da Porto Vale Consórcio, afiliada da Porto Seguro Bank.

No entanto, é importante destacar que a Porto Vale faz uma avaliação do interessado para validar se esta pessoa tem condições de pagar o consórcio.

Além disso, durante o andamento do grupo, se o cliente se tornar inadimplente no consórcio, ele pode ser desligado de sua cota, caso não regularize as pendências financeiras.

Do mesmo modo, se o integrante do grupo está realizando o pagamento das parcelas da forma correta e cumprindo com todas as responsabilidades que tem para com seu grupo, não terá problemas para seguir no consórcio, mesmo com seu nome no SERASA.

Só na hora da contemplação em si, é que o integrante precisará estar com o nome limpo. Isso porque estando em condição de inadimplência, não será possível retirar sua carta de crédito.

Entretanto, como os grupos de consórcio geralmente são iniciativas de longo prazo, o consorciado pode usar esse tempo para negociar suas dívidas com calma e limpar seu nome antes da contemplação, para evitar transtornos.

É fundamental conversar atentamente com um consultor de consórcios para entender todas as regras e esclarecer dúvidas.

Como o consórcio funciona?

O consórcio funciona como um grupo de pessoas que têm um interesse financeiro em comum, que geralmente se trata da compra de algum bem ou serviço de valor mais elevado.

No Brasil, por exemplo, o consórcio imobiliário e o consórcio de veículos são duas das opções mais tradicionais e populares.

O número de integrantes presentes em um grupo, o prazo de duração do mesmo e o valor da carta de crédito a qual todos os consorciados terão acesso depois de sua contemplação são fatores bastante variáveis.

Desde que não desrespeitem o que está previsto na lei nº 11.795, conhecida como a Lei dos Consórcios, cada administradora tem o direito de estabelecer suas próprias normas e condições para o funcionamento dos grupos.

Por isso, é essencial buscar por empresas de confiança no ramo e evitar comprar cotas de vendedores individuais. Para se proteger contra golpes, sempre faça tudo diretamente com a empresa responsável.

Para saber se um grupo é confiável ou não, basta checar a lista de empresas credenciadas pela Abac – Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio.

Depois de ter sido aprovado para integrar um grupo, o consorciado assume a responsabilidade por uma cota do consórcio, que corresponde à sua fatia dentro do coletivo.

Também é por meio da cota que o consorciado será identificado dentro do grupo e poderá acessar o registro do seu histórico, como sua participação nas reuniões, qual é o plano escolhido, histórico dos pagamentos efetuados, etc.

Em empresas que apostam na modernidade, como a Porto Vale Consórcio, os clientes podem ter acesso a todas essas informações na palma da mão por meio do app da Porto.

Além disso, também é possível checar o histórico de contemplações do grupo, algo essencial para quem pretende realizar um lance para ser contemplado rapidamente.

Quem está negativado pode fazer lance no consórcio?

Ter ou não o direito de oferecer lances no grupo de consórcio estando com o nome sujo é algo que varia de empresa para empresa, mas, de modo geral, não é algo recomendado.

Afinal, caso seja contemplado ainda estando com seu nome no SERASA será preciso quitar seu débito, ou seja, limpar seu nome, para então receber a carta.

Portanto, não se apresse. A maior vantagem do consórcio para inadimplentes está justamente no prazo de duração do grupo, que pode passar dos 200 meses dependendo da modalidade em pauta.

Se estiver com seu nome sujo, o ideal é aproveitar esse tempo para conseguir colocar sua vida financeira em ordem e quitar suas dívidas, para que possa desfrutar do bem ou serviço que almeja sem empecilhos.

Depois de ter regularizado sua situação, poderá então pensar em se planejar para ofertar um lance, que funciona como um adiantamento de parte das parcelas que ainda devem ser pagas.

Existem pessoas que são contempladas com lances de valores baixos e outras que precisam fazer grandes ofertas para vencerem em uma rodada.

Os lances geralmente funcionam como leilões, salvo na modalidade de lance fixo. Nesta, o valor de lance que pode ser oferecido é previamente estabelecido pela empresa e os critérios de desempate também são estabelecidos pela administradora.  

Nos lances livres e nos lances embutidos (em que parte do valor da carta de crédito pode ser usado para a oferta, sendo descontado depois), a chance de vencer com um lance menor vai depender muito do perfil do grupo no qual está inserido.

Períodos do ano em que se costuma gastar mais, como janeiro e fevereiro, geralmente são acompanhados por uma queda nos lances. Este então pode ser um bom momento para tentar fazer um lance vitorioso sem oferecer tanto.

Como conseguir a carta de crédito para negativado?

Como dito anteriormente, a carta de crédito não pode ser acessada pelo consorciado até que ele regularize sua situação de inadimplência, mesmo que já tenha sido contemplado.

Caso um integrante do grupo de consórcio que esteja com seu nome sujo seja sorteado com a carta de crédito, o procedimento será o seguinte: ao ser contemplado, o consorciado passará por uma análise de crédito.

Esta é indispensável para a liberação da carta. Estando ainda com o nome no SERASA, a pessoa contemplada pode passar por algumas dificuldades para ter acesso ao recurso.

Afinal de contas, ainda está em débito e deve regularizar sua situação. Em boa parte dos casos, é possível correr atrás do prejuízo e limpar seu nome para ter acesso à carta.

Nestas situações, contar com o suporte de uma equipe de especialistas do mercado de consórcios é essencial e fará toda a diferença no sucesso do seu investimento.

Com uma boa consultoria, será possível encontrar soluções mais eficientes para negociar sua situação e sair de vez dos cadernos da SERASA.

Tendo seu nome limpo novamente, poderá ter acesso à carta de crédito e realizar seus objetivos.

Aqui, vale um adendo: preste atenção para realizar seu consórcio com empresas que ofereçam variedade em seu catálogo de bens e flexibilidade para o uso da carta de crédito, como a Porto Vale Consórcio.

O que é preciso para entrar em um consórcio?

Agora que você já entendeu como funciona o processo de estar em um consórcio com nome sujo, é hora de entender o que é preciso fazer para entrar em um grupo.

Para sanar essa dúvida, saiba que o processo é mais simples do que muita gente pensa. Em primeiro lugar, é preciso atender a alguns critérios principais, como ser maior de idade.

No caso de menores de 18 anos emancipados, aqueles que têm no mínimo 16 anos completos e que tiveram sua maioridade legal “adiantada” por aprovação dos pais, também é possível assumir esse compromisso.

Passando pelo fator idade, outro quesito importante é a comprovação de renda. A avaliação da renda de quem deseja ingressar em um grupo de consórcio precisa ser feita para aprovar sua entrada. Isso é feito para verificar se a pessoa tem condições mínimas de assumir tal compromisso financeiro.

Por exemplo: em um consórcio de imóveis cujo valor da parcela é de 1000 reais, é inviável que alguém que recebe um salário-mínimo ou menos entre para o grupo, já que a mensalidade compromete uma porcentagem muito grande de sua renda.

Além de atender a estes critérios, também será preciso apresentar alguns documentos, como:

  • CPF;
  • RG;
  • Comprovante do endereço atual e dos últimos três meses, como contrato de aluguel, contas de água e luz, conta de telefone e etc.;
  • Certidão de nascimento;
  • Certidão de casamento ou de união estável, para casais que não tenham formalizado a união.

É importante dizer que estes são apenas alguns exemplos e que a documentação exigida pode variar de acordo com cada administradora.

Vantagens de fazer um consórcio

As vantagens oferecidas pelos consórcios são muitas. Para quem está com o nome sujo, a primeira vantagem é o tempo para realizar uma aquisição bem planejada.

Em um consórcio de veículos, por exemplo, o período de duração dos grupos varia de 50 a 80 meses, tempo suficiente para efetuar os pagamentos sem grandes complicações.

Outra vantagem é a ausência de juros, algo que coloca os consórcios em destaque frente a outras modalidades presentes no mercado, como os financiamentos.

Com os consórcios, seu investimento não vai ficar sujeito à alta da taxa de juros, nem a cobranças abusivas. Isso claro, quando se ingressa em um grupo de uma empresa que ofereça planos de qualidade.

Diferentemente dos financiamentos, em que se paga quase o dobro do valor real do bem, os consórcios cobram apenas algumas taxas, como:

Taxa administrativa: taxa sobre os serviços da empresa para a criação e gestão do grupo, como pagamentos dos funcionários e outros fatores;

Fundo de reserva: tem o objetivo de garantir que o fundo comum do grupo de consórcio esteja sempre com crédito suficiente para entregar as cartas de crédito aos seus membros;

Seguro: taxa não-obrigatória, serve como garantia extra de proteção da cota em caso de situações adversas, como quebra de garantia por alguma dificuldade financeira momentânea que ocasione o não pagamento de uma parcela, ou até mesmo um período de desemprego.

Por fim, o poder de negociação é outra das vantagens que vamos destacar aqui. Com a carta de crédito em mãos, é como se o comprador estivesse com o valor integral do bem, o que lhe permite fazer compras de alto valor à vista.

Essa possibilidade, além de permitir uma compra sem dívidas, também facilita a negociação de descontos e outros benefícios.

Quais são os principais tipos de consórcio?

Desde que a empresa ofereça essa possibilidade, como é o caso da Porto Vale Consórcio, alguém que esteja com nome sujo pode participar de qualquer uma das modalidades de consórcio oferecidas para pessoas físicas. Entre as que mais tem se destacado atualmente, podemos citar três:

1. Consórcio de imóveis

Um dos tipos com maior tempo de duração e maior valor da carta de crédito, o consórcio imobiliário é a escolha ideal para quem deseja realizar o sonho de comprar um imóvel de forma planejada e econômica.

Pode ser usado para a aquisição de imóveis de todos os tipos, seja ele destinado a fins residenciais ou comerciais.

2. Consórcio de veículos

Outra opção bastante popular, o consórcio de veículos pode ser usado para a compra de uma série de categorias veiculares diferentes, desde carros e motos de passeio até caminhões de grande porte.

3. Consórcio de placas solares

Diante da necessidade de encontrar opções sustentáveis de geração de energia elétrica, a procura por projetos de instalação de placas fotovoltaicas tem aumentado, tanto que já existem grupos de consórcio dedicados à aquisição desse serviço. 

Onde posso fazer consórcio com segurança?

Se você está à procura da empresa certa para entrar em um consórcio, conte com a Porto Vale Consórcio para lhe oferecer todo o suporte.  

A satisfação dos clientes é o que solidifica a reputação do grupo, que se destaca pelo excelente atendimento ao consorciado.

Para realizar uma simulação e entender qual tipo de consórcio mais se encaixa com o seu perfil, entre em contato com um de nossos consultores!