10 dicas para escolher o melhor consórcio

Quer saber como escolher o melhor consórcio para a realização de seus sonhos? Veja 10 dicas para acertar na decisão!

Veja como encontrar a opção ideal para você

Saber como escolher o melhor consórcio pode ser uma tarefa bastante desafiadora. Afinal, existem inúmeros grupos, administradoras, prazos e valores de cartas de crédito à disposição dos brasileiros.

Todos os fatores que envolvem a contratação de um consórcio, seja ele automotivo ou imobiliário, devem ser avaliados com calma.

Para que este momento de decisão possa ser feito da melhor forma possível, confira abaixo 10 dicas para ajudá-lo a escolher um consórcio!

1. Estabeleça os seus objetivos

Antes de mais nada, ter seus objetivos bem definidos é o primeiro passo para saber como escolher o melhor consórcio.

É preciso definir, com clareza, onde você quer chegar e o que pretende conquistar, para que seja possível tomar decisões estratégicas, que irão ao encontro do que realmente deseja.

Para tal, é importante se fazer algumas perguntas. Para o caso de pessoas que buscam por um consórcio para acessar algum tipo de serviço, como um projeto de instalação de placas de energia solar, por exemplo, é importante entender, em primeiro lugar, o que se espera deste serviço.

Já está certo de que esta é a solução que realmente procura? Sabe como o serviço funciona? Tem expectativas realistas em relação a ele? Sabe quanto custa e o que vai exigir?

Tendo tais questões em mente, será mais fácil ter uma experiência positiva com o investimento, sabendo como escolher o melhor consórcio.

2. Saiba que tipo de bem deseja

Já no caso de grupos de consórcio voltados para a aquisição de um bem, como um consórcio imobiliário ou veicular, por exemplo, o ponto principal é entender por que deseja adquirir este bem e qual tipo de propriedade atende o seu perfil.

No caso de quem deseja saber como escolher o melhor consórcio de imóveis para realizar o sonho da casa própria, é essencial entender qual tipo de residência atende suas demandas familiares e cabe no seu orçamento.

Para este tipo de avaliação, é interesse que se pondere questões como:

  • Por qual tipo de imóvel você se interessa;
  • Busca por um imóvel novo ou usado;
  • Quantas pessoas irão morar na casa;
  • Deseja se mudar o mais breve possível ou tem tempo para um planejamento de maior prazo;
  • Entre outras questões.

3. Organize sua vida financeira

Organizar sua vida financeira é essencial para poder entrar em um consórcio sem prejudicar suas finanças.

O primeiro passo é avaliar seu orçamento e verificar quanto dinheiro você pode direcionar para as parcelas do consórcio.

Analise seus gastos mensais e faça uma lista de prioridades para identificar onde você pode cortar gastos desnecessários e economizar dinheiro.

Também é importante definir em qual tipo de consórcio você deseja entrar e quanto dinheiro será necessário para participar.

Verifique se as parcelas do consórcio cabem no seu orçamento mensal sem prejudicar o pagamento de outras dívidas ou compromissos financeiros. Em um cenário ideal, o novo investimento não deve comprometer mais do que 30% da sua renda.

Caso seja possível, considere a possibilidade de aumentar sua renda por meio de trabalhos extras.

Se conseguir poupar mais dinheiro para entrar no consórcio, conseguirá ofertar lances maiores e ter mais chances de ser contemplado rapidamente.

4. Tenha uma reserva de emergência

O planejamento financeiro também deve contemplar a existência de uma reserva de emergência para lidar com possíveis imprevistos. Assim, você não precisará recorrer a empréstimos ou comprometer suas finanças.

Afinal, saber como escolher o melhor grupo de consórcio também significa entender que este tipo de iniciativa exige um compromisso de longo prazo.

Por isso, tenha certeza de que tem uma reserva antes de entrar em um grupo de consórcio, para se proteger de imprevistos financeiros que possam comprometer sua rotina.

5. Crie um planejamento

Para saber como escolher o melhor grupo de consórcio, é importante criar um planejamento financeiro que leve em consideração suas necessidades, metas e recursos financeiros, começando por uma avaliar suas finanças e verificar se você tem condições de arcar com as parcelas mensais.

Analise seu orçamento, incluindo seus ganhos e despesas fixas, para ter uma ideia de quanto você pode dedicar às parcelas do consórcio sem comprometer suas outras obrigações financeiras.

Também não deixe de pesquisar e comparar diferentes grupos de consórcio para encontrar o melhor para suas necessidades.

Verifique a reputação da empresa, as opções de pagamento e as condições do contrato. Seguindo essas dicas, você poderá criar um planejamento financeiro sólido para escolher o melhor grupo de consórcio para atender às suas necessidades e metas financeiras.

6. Pesquise as opções disponíveis no mercado

Agora que já delimitou o que realmente deseja, o que tem condições de bancar e como pretende colocar seu plano em prática, é hora de analisar as opções disponíveis no mercado para escolher o melhor grupo de consórcio.

A dica número um é buscar um grupo que se aproxime dos seus planos e que oferte a carta de crédito para o tipo de serviço ou bem que pretende adquirir.

Para isso, dedique o tempo necessário para ponderar sobre todas as propostas disponíveis, e não hesite em tirar todas as suas dúvidas ao conversar com os consultores das empresas que está considerando.

Nesse ponto, é essencial poder contar com o suporte de um boa equipe de atendimento ao cliente. Na Porto Vale Consórcio, por exemplo, o atendimento humanizado e consultivo, prestado por especialistas do setor, é um dos aspectos mais comentados e valorizados pelos clientes.

Basta conferir os comentários deixados nas avaliações no Google da Porto Vale para ver que o nível de satisfação dos clientes é altíssimo.

7. Verifique a reputação da administradora do consórcio e as garantias oferecidas

Para verificar a reputação da administradora do consórcio e as garantias oferecidas, você pode começar pesquisando sobre a administradora na internet, em sites de reclamações, fóruns de discussão e redes sociais.

É importante avaliar a quantidade e a natureza das reclamações e como a empresa responde a elas.

Também verifique se a administradora é fiscalizada pelo Bacen – o Banco Central Brasileiro, e associada à ABAC – a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios. Ela é uma entidade que representa o setor e que tem como objetivo promover o desenvolvimento do consórcio como forma de acesso ao crédito.

A associação a essas entidades é um indicativo de que a empresa segue as normas e regulamentações do setor.

8. Analise as taxas cobradas pela administradora

Para analisar as taxas cobradas pela administradora de consórcio, é importante conhecer os principais tipos de taxas da modalidade e entender como elas afetam o valor do consórcio. Algumas das taxas mais comuns são:

Taxa de administração: cobrada pela administradora para gerenciar o consórcio, geralmente é cobrada mensalmente. Ela pode variar de acordo com o tipo de consórcio e o valor da carta de crédito.

Taxa de fundo reserva: serve para cobrir eventuais inadimplências do grupo. Ela é cobrada mensalmente e geralmente varia de 1% a 2% do valor da parcela.

Taxa de contemplação: cobrada quando o consorciado é contemplado e recebe a carta de crédito. Ela pode ser fixa ou proporcional ao valor da carta de crédito, e pode variar de acordo com a administradora.

Outra taxa que costuma ser optativa é a de seguro, para proteger o consórcio e garantir a contemplação do bem em caso de imprevistos. Existem duas modalidades de seguro que podem ser contratadas pelos consorciados:

Seguro de vida: garante que, em caso de falecimento do consorciado, a parcela do consórcio será quitada e o bem ou serviço será entregue aos herdeiros legais.

Dessa forma, o consorciado não precisa se preocupar com a continuidade do pagamento das parcelas do consórcio em caso de falecimento.

Seguro prestamista: garante a quitação das parcelas do consórcio em caso de desemprego involuntário, incapacidade temporária ou permanente, ou falecimento do consorciado.

Dessa forma, o consorciado pode continuar usufruindo do bem ou serviço mesmo em caso de imprevistos financeiros ou de saúde.

Vale ressaltar que a contratação do seguro não é obrigatória, mas pode ser uma forma de proteger o investimento e garantir a realização do objetivo do consórcio.

É importante verificar as condições e coberturas do seguro com a administradora do consórcio e escolher a modalidade que melhor se adequa às necessidades e ao perfil do consorciado.

9. Considere a quantidade de participantes do grupo

A quantidade de participantes do grupo de consórcio é um fator importante a ser considerado ao escolher uma cota, pois ela pode afetar o tempo de espera para a contemplação e a possibilidade de desistência do consórcio.

Quanto maior o número de participantes do grupo, maior será a quantidade de pessoas concorrendo à carta de crédito, o que pode prolongar o tempo de espera para a contemplação.

Por outro lado, grupos com poucos participantes podem ter maior facilidade para contemplar seus membros, mas o valor da carta de crédito pode ser menor.

Por isso, é importante avaliar a estabilidade do grupo ao escolher o melhor consórcio.

10. Verifique se há possibilidade de antecipar as parcelas

Por fim, outra dica importante para saber como escolher o melhor consórcio é checar se a empresa oferece formas de antecipar as parcelas em aberto.

Uma das principais formas de antecipação do pagamento é por meio do lance, método de contemplação adotado por boa parte das empresas.

Com a antecipação das parcelas, você reduzirá o tempo que precisará pagar pelas taxas cobradas pela empresa de consórcio, já que estas costumam incidir sobre o saldo devedor.

Por consequência, será possível economizar mais dinheiro ao final do consórcio, já que o valor total das parcelas pagas será menor.

Além disso, aoantecipar as parcelas, você poderá aumentar suas chances de ser contemplado antes do prazo previsto.

Existem três tipos principais de lance: o fixo, que apresenta um valor predeterminado pela empresa; o livre, no qual você oferta o valor que tem em mãos; e o embutido, que usa parte do valor da carta de crédito.

Outra forma de antecipar suas parcelas é utilizar o FGTS – o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, para amortizar ou quitar parcelas do consórcio de imóveis.

De acordo com as regras do FGTS, é possível utilizar o fundo para amortizar ou quitar parcelas de consórcios imobiliários desde que o trabalhador:

  • Tenha pelo menos três anos de trabalho com carteira assinada;
  • Não seja proprietário de imóvel na mesma cidade em que exerce sua ocupação principal;
  • Esteja com seu consórcio ativo e com as parcelas em dia.

Com estas questões em mente, saiba que, caso tenha interesse em fazer uso deste recurso, não deve esquecer de perguntar se a empresa administradora oferece essa possibilidade ao analisar como escolher o melhor consórcio.

Escolha a Porto Vale Consórcio

A Porto Vale Consórcio é a maior administradora de consórcios da rede Porto Seguro Bank no Brasil, eleita a melhor empresa do grupo em 2023.

A Porto se destaca pela oferta de um atendimento humanizado e atento, no qual profissionais especializados se responsabilizam pelo suporte aos consorciados.

A administradora oferece grupos de consórcio de imóveis, veiculares, consórcios voltados para a compra de equipamentos agrícolas e outras opções. Entre em contato com um dos membros da equipe de consultores e faça já a sua simulação!