Porto Vale Consorcio

Porto Vale Consorcio
Artigos do consórcio
Tudo o que você precisa saber sobre o consórcio
Consórcio Porto

Parcelas reduzidas em 25%

Faça já uma simulação

Reformar casas antigas gastando pouco

Reformar casas antigas

Sumário

Como reformar casas antigas gastando pouco: aprenda o cálculo!

Confira dicas para usar o consórcio imobiliário na sua reforma

A hora de reformar um imóvel mais antigo pode gerar dor de cabeça em muita gente, principalmente para quem está em busca de economia. 

Neste momento, o principal é fazer as coisas com calma e planejamento. Para te ajudar com isso, trouxemos um artigo completo com dicas de como reformar casas antigas gastando pouco. Confira!

Como reformar uma casa sem gastar muito

Como falamos acima, o passo mais importante para conseguir fazer uma reforma econômica é se planejar.

Identifique o que precisa de atenção imediata, o que pode vir ao final do projeto e o que ainda está em boas condições e não precisa de reparos. 

Assim, você irá criar uma lista de prioridades, o que vai otimizar a aplicação do projeto, principalmente diante da possibilidade de gastos inesperados aparecerem. 

Depois de fazer essa geral pelo seu imóvel, é hora de começar a procurar por referenciais. Com qual cara quer deixar sua casa depois da reforma?

Você pode fazer pesquisas no Google, consultar revistas de decoração ou até mesmo criar uma pasta no Pinterest para salvar suas referências favoritas. 

Ter esse suporte visual é muito importante, tanto para você entender quais mudanças deseja para cada espaço quanto para os profissionais que irão trabalhar na sua reforma, para que consigam visualizar o que você quer com clareza.

Como baratear o custo de uma reforma 

Depois de feito este planejamento inicial, o próximo passo para conseguir baratear o custo de uma reforma é pensar em maneiras de economizar nos materiais e na mão de obra.

Faça um inventário do que você já tem a sua disposição e do que tem condições de fazer por conta própria. 

Alguns procedimentos, como restaurações elétricas e trocas no encanamento são mais complexas e não são recomendáveis para aplicar o conceito do “faça você mesmo”, a não ser que já tenha experiência com este tipo de trabalho, é claro.

Já em outros projetos, como pinturas e alguns tipos de renovação de móveis, por exemplo, fazer por conta própria pode ser viável. 

Busque por bons tutoriais para te ajudar na hora de fazer as renovações e veja o que se encaixa melhor com as suas capacidades. Só preste atenção para fazer apenas aquilo que tem confiança, porque o barato pode sair caro.

Além disso, para quem está priorizando a economia, escolher materiais mais baratos é sempre o mais recomendável. Por isso, confira 6 opções em conta para você economizar sem precisar comprometer a qualidade do seu projeto:

1. Azulejos 

Sempre presente na maioria dos projetos, este material se destaca pela resistência ao tempo e pela versatilidade na hora da limpeza. 

A manutenção dos azulejos também é bastante simples, tanto para substituir uma peça antiga quanto para aplicar um novo revestimento por cima do velho, sem precisar quebrar nada. 

Também é uma maneira simples de mudar a cara de um ambiente, já que existe uma variedade de cores e formatos de azulejos.

2. Policarbonato

Ideal para quem quer uma opção para substituir o vidro, já que é mais barato e mais leve. Além de ser bastante flexível e resistente, o policarbonato também possui um aspecto parcialmente transparente.

Assim, você consegue levar luminosidade para um ambiente sem deixar seu interior completamente exposto.

3. Pisos laminados 

Conhecidos por serem mais quentes, digamos assim, este tipo de piso é bastante confortável para aqueles que têm o costume de andar descalço dentro de casa, além de terem uma instalação bem simples. 

Só preste atenção ao modelo que vai escolher, porque os valores variam de acordo com o tipo de madeira usada para laminar o revestimento e a espessura. Faça uma pesquisa de campo e anote os preços!

4. Placas de OSB

Uma das opções mais sustentáveis dessa lista, as “Oriented Strand Board”, as chapas de tiras de madeira orientadas, são feitas a partir do material que sobra dos processos de corte e tratamento de madeira nas fábricas. 

Além do preço baixo, outra vantagem deste material é a capacidade de isolamento termoacústico e a facilidade de encontrá-lo.

5. Papel de parede 

Com o papel de parede, toda troca de decoração fica a uma remoção de distância. Com um bom material à disposição, é possível garantir uma reforma econômica e simples, já que você não tem que se preocupar com pequenas imperfeições na parede na hora de aplicar o papel.

6. Tintas 

Não há quem negue o impacto que as cores têm sobre a ambientação de um espaço, certo? 

Por isso, se está querendo deixar sua residência de cara nova, investir na pintura do imóvel é um passo indispensável, e que pode ser bem em conta. Vale destacar a existência de opções de tinta que previnem o acúmulo de gordura e evitam a presença de mofo, que vão garantir aquela proteção extra. 

Em muitas situações, as superfícies pintadas também podem ser lavadas com água e sabão, sem que você tenha que se preocupar com manchas. Pesquise bastante e converse com um profissional sobre as especificidades de cada opção.

Como planejar a reforma da casa gastando pouco

Agora que você já sabe o que quer e já fez sua pesquisa de materiais para ter uma noção dos preços, é hora de criar um orçamento mais sério.

Para quem quer garantir uma reforma econômica, o segredo é estabelecer um teto de gastos que caiba no seu bolso e se manter firme nele. 

Aqui, é importante que você sempre inclua um valor extra para possíveis imprevistos, como material danificado, desentendimentos com os profissionais que vão realizar a obra, tarefas que você porventura venha a esquecer de incluir no plano original, e etc.

Para te dar aquela mãozinha para começar a dar vida ao seu projeto, confira 4 dicas de como planejar a reforma da casa gastando pouco:

1. Converse com quem entende do assunto

A melhor forma de garantir que não vai ter gastos ainda maiores no futuro é poder contar com profissionais de confiança, principalmente se estiver interessado em fazer um projeto de grande porte.

Afinal, você provavelmente não tem a expertise necessária para fazer todos os procedimentos, por vezes bastante complexos, que este tipo de iniciativa vai demandar.

Por isso, para economizar na reforma, faça uma pesquisa sobre os principais profissionais da sua região e compare o valor de seus projetos + vantagens que oferecem (tempo de mercado, experiências positivas de outros clientes, desconto com marcas, seguro, etc.)

2. Crie um cronograma para economizar na reforma

Com o orçamento em mãos e o time escolhido, é hora de fechar um cronograma para finalizar sua obra. Só assim para você conseguir estipular um período de tempo para cada passo do seu projeto.

O cronograma é essencial para impedir que a reforma fique se prolongando, o que inevitavelmente vai acabar resultando em mais gastos.

Pense neste planejamento junto ao profissional responsável pela obra para que encontre prazos possíveis de serem cumpridos. 

3. Faça uma pesquisa de preços

Tanto para a mão de obra quanto para os materiais, fazer uma boa pesquisa de preços é sempre indispensável para quem visa uma reforma econômica.

Também é importante que você fique de olho em datas tipicamente promocionais, tais quais:

  • Aniversário da loja/marca;
  • Black Friday;
  • Queima de estoque;
  • Chegada de novas coleções.

Assim, você garante mais uma maneira de economizar ao ir às compras. Também é interessante que você crie opções de orçamento levando tipos diferentes de material em consideração.

Desta maneira, ficará mais fácil para você conseguir visualizar suas possibilidades e encontrar a melhor solução para a sua casa e para o seu bolso.

4. Não tente mudar pontos hidráulicos

Fazer mudanças como trocar o vaso sanitário ou chuveiro de lugar é até viável, mas vai, sem sombra de dúvida, fazer da reforma econômica, uma reforma cara. 

Isto porque estas mudanças demandam procedimentos complexos e podem te levar a ter custos desnecessários com reparos hidráulicos, principalmente para quem mora em um apartamento, já que a mudança pode vir a afetar os vizinhos.

Como guardar dinheiro para reformar a casa 

Ao discutir sobre como reformar gastando pouco, também é preciso falar em como guardar dinheiro para uma reforma.

Nesse quesito, uma ótima opção para quem quer poupar, mas não sabe por onde começar, é o consórcio.

Com grupos variados, a partir de um consórcio você se une a outras pessoas que compartilham do mesmo interesse que o seu e tem a chance de ser contemplado já nos primeiros meses. Assim, você tem acesso ao montante necessário para realizar seus objetivos.

Como calcular o preço de uma reforma 

Para saber o preço para reformar gastando pouco, existem algumas formas de cálculo, e a mais comum delas é pelo metro quadrado do imóvel. 

Para construir um teto de gastos com a obra, é interessante que você pense em algo em torno de:

  • 10% a 15% do valor do imóvel, caso queira vendê-lo;
  • 8% a 10% do valor do imóvel, caso queira alugá-lo;
  • Abaixo dos 8% caso seja apenas uma reforma preventiva.

Quanto custa a mão de obra para uma reforma

Outra coisa que não pode faltar no seu cálculo de gastos é a mão de obra. O serviço dos profissionais que vão realizar a sua reforma também costuma ser cobrado pelo metro quadrado do espaço.

O preço do trabalho vai variar bastante, de acordo com algumas questões:

  • Região na qual se encontra o seu imóvel;
  • Se o local é de fácil acesso ou não;
  • Se está contratando uma empresa ou um profissional independente;
  • Se a reforma é de risco ou não (reformas externas em locais muito altos, por exemplo, costumam ser mais caras).

Em algumas regiões do país, o valor da mão de obra pode custar entre R$ 200 e R$ 300 por m², mas é preciso fazer uma pesquisa de campo para comparar os valores.

Cuidados na hora de reformar gastando pouco 

Um problema muito comum nas reformas é o desperdício. Material comprado a mais, ou usado da forma errada, material danificado, entre outras questões, são alguns dos motivos que causam este problema.

Por isso, é essencial que haja a devida organização, tanto em termos de planejamento quanto do espaço em si.

Trabalhar em um local sujo e desorganizado significa aumentar a chance de acidentes e confusões. 

Tenha um espaço certo para armazenar os materiais utilizados e mantenha peças mais frágeis, como tijolos e telhas, em pilhas para evitar que se quebrem.

O segundo ponto, e um dos mais importantes, é ter certeza de que está contando com uma equipe bem treinada.

Ao buscar pelo profissional ou empresa certa, certifique-se de que estes se preocupam com a otimização das matérias-primas.

Aqui, é preciso empregar os conceitos de reciclagem. Materiais de alvenaria, por exemplo, podem ser reaproveitados quando triturados. Pesquise por formas de reutilizar seu material antes de descartá-lo.

Quer saber como reformar gastando pouco? Conheça o consórcio para reformar imóveis da Porto Seguro! 

Se quer começar a caminhar rumo aos seus objetivos, conte com o consórcio Porto Seguro. Aqui, é possível fazer um investimento livre de juros e que atenda às suas necessidades. 

No Consórcio de Imóveis da Porto, que também contempla reformas, você se dispõe a pagar um valor predeterminado até o fim do grupo. Ao ser contemplado, você terá acesso a carta de crédito com o valor total da reforma.

Ter este montante em suas mãos para fechar ofertas à vista é muito importante na hora de negociar descontos e, com certeza, vai te ajudar a fazer uma reforma econômica.

A Porto Vale é uma empresa filiada ao grupo Porto, um dos maiores grupos do ramo de consórcios e seguros do país.

Na Porto, as parcelas são 50% menores até o momento da contemplação, sendo que você poderá ser contemplado por sorteio ou lance. 

Gostou do conteúdo de hoje? Não se esqueça de visitar outras postagens para saber mais sobre o universo dos consórcios!

Outros artigos
Fundo do formulário

Faça já uma simulação